Meu pai era refugiado Palestino

Começou a trabalhar com 12 anos como alfaiate, construiu oleodutos no deserto e veio pro Brasil com 17 anos sem falar uma palavra em português. Foi ajudante de mascate , mascate, camelo, motorista de táxi.. Foi construtor mas na essência comerciante. Teve uma confecção em Copacabana. O síndico do prédio as vezes desligava a luz das salas só de sacanagem. Era militar. Não ia com a cara dele. Tempos depois teve lojas em uma galeria em laranjeiras.

Combinou com os camelôs que ficavam na rua que quando o “rapá” aparece, que corressem pra dentro. Ia pra porta, já tinha uns sessenta anos. Quando a guarda corria atrás ele dizia “aqui vocês não entram”!!!!”… se tivesse medo meu filho não saia de baixo da cama”

Podia ter cidadania inglesa, a Palestina era colônia quando ele nasceu. “pra que André? Escolhi ser brasileiro”
Perdi a conta de pessoas que me procuram pra dizer”como seu pai me ajudou… ” gente que nem conheço.

Pai tô aqui, seu sangue corre em minhas veias. Tô bem. Lutando. Conquistando. Ajudando os outros como vc me ensinou. Sem esquecer minhas origens.

Os imigrantes construíram o Brasil. #palestinalivre #paz

bandeira palestina
Bandeira Palestina